Seus fios estão quebrando com facilidade, com aspecto poroso, emborrachado e sem vida? Talvez a resposta para os seus problemas esteja na queratina, proteína responsável por 90% da massa capilar. Ela está presente na nossa pele, unhas e cabelos e dá força e elasticidade aos fios, mas como saber se está na hora de repor a proteína nos cabelos?

Mesmo sendo tão presente e tão importante, ela é cercada de vários mitos e alguns fazem muita gente ter medo de aplicar sozinha essa proteína. E é para desvendar os mistérios da queratina e ensinar você a incluí-la na sua rotina de cuidados que vamos mostrar 5 mitos e verdades sobre o tema. Vamos lá? Confira!

Entenda o que é a queratina

Como já falamos, ela é uma proteína que constitui grande parte da massa capilar. Tratamentos químicos, descoloração e uso excessivo de ferramentas de calor fazem com que as escamas do cabelo se abram e percam diversos componentes essenciais para a saúde dos fios.

Mas, para entender melhor tudo isso, é preciso conhecer a estrutura dos nossos fios:

  • Cutículas: são a parte visível do cabelo e as responsáveis por proteger o córtex — abaixo falaremos sobre ele — das agressões. Quando estão abertas, deixam o cabelo exposto às agressões e, por isso, eles ficam secos, embaraçados e sem brilho;
  • Córtex: essa é a parte mais volumosa do fio, onde está a massa capilar, que detém propriedades importantes, como fibras e a queratina;
  • Medula: a medula ainda causa dúvidas, mas a teoria mais aceita é que ela é rica em células de queratina mais maleáveis e serve para guiar o novo fio até o poro.

Por estar no centro do fio, no córtex capilar, a queratina é um importante ativo para manter a saúde do fio, ajudando a reter umidade e nutrientes importantes para um cabelo perfeito!

5 mitos e verdade sobre a queratina

Agora que você já sabe o que é e porque é tão importante para os nossos fios, chegou a hora de conhecer alguns mitos e verdades a respeito!

1. Pode usar sem medo

Mito. Ao contrário da hidratação, que pode ser feita indiscriminadamente, a reconstrução com reposição de queratina deve ser feita com cuidado. Isso porque todo cabelo tem queratina, ou seja, nem todos andam precisando de reposição.

Em cabelos extremamente danificados, a aplicação súbita de uma dose da proteína pode causar um efeito bem desagradável: o efeito rebote. Com ele, os cabelos ficam duros, sem movimento e, o pior, muito mais propensos à quebra! Portanto, nada de sair aplicando queratina sem conhecer a necessidade do seu fio, certo?

2. Cabelos cacheados perdem queratina mais fácil

Verdade. Os cabelos crespos ou cacheados são naturalmente mais frágeis, pois a oleosidade natural produzida pelo couro cabeludo não consegue descer por toda a extensão do fio, justamente por conta do formato curvado.

Sem essa camada protetora, os fios ficam mais expostos às agressões diárias, que também resultam na perda de queratina, como sol, vento, poluição e, nos períodos de calor, cloro e sal.

3. A frequência nem sempre é exata

Verdade. Como falamos no primeiro tópico, nossos cabelos já têm queratina naturalmente e a perda varia de cabelo para cabelo, de dano para dano. Não só a aplicação súbita, mas a sobrecarga também pode causar o efeito rebote.

O segredo é conhecer o seu fio! De um modo geral, cabelos sem química devem passar pela reconstrução a cada dois meses, enquanto os que recebem esses tratamentos devem ter a queratina reposta uma vez por mês.

4. Cabelo fraco = falta de queratina

Mito. Uma série de fatores podem influenciar na saúde dos nossos cabelos, entre eles estão: alimentação, rotina de exercícios físicos, taxas hormonais normais e estresse, que pode resultar até mesmo na queda dos fios.

Então, antes de correr para a reconstrução dos fios, dê uma revisada nos seus hábitos de vida e verifique se está tudo bem com a sua saúde. Outras vezes, pode ser que o cabelo precise de hidratação ou nutrição, então, a colocação de queratina não seria recomendada.

5. Queratina deve ser usada sozinha

Mito. Alguns salões até usam a queratina pura, mas se você quer reconstruir os fios em casa, é melhor misturá-la com algum creme ou máscara ou até mesmo investir em produtos que sejam rico nessa proteína. Dessa forma, você extrai os benefícios dos dois produtos e evita uma sobrecarga nos fios!

Como incluir a queratina na sua rotina de cuidados

A reconstrução pode ser feita em casa, de forma segura e barata. E tudo começa com a escolha de bons produtos. Independente da marca, escolha uma máscara de reconstrução que indique no rótulo componentes, além da queratina, como: arginina, creatina, cisteína, queratina e colágeno

Antes de reconstruir, é bom se certificar de que o cabelo está forte o suficiente para o recebimento da queratina, por isso, é sempre bom investir em nutrição e hidratação antes de reconstruir o fio.

O passo a passo não tem mistério:

  • Lave bem os cabelos de forma que retire todo o excesso de cosmético presente nos fios;
  • Enxágue bem para que não fique nenhum resquício de shampoo no cabelo;
  • Separe o cabelo em quatro mechas e aplique a máscara;
  • Enluve bem cada mecha e use um pente para garantir que todo o cabelo recebeu o produto;
  • Aguarde o tempo de ação descrito na embalagem e respeite-o sempre para não correr o risco de sobrecarga;
  • Enxágue bem;
  • Condicione. O uso do condicionador sela as cutículas do cabelo, mantendo toda a queratina e nutrientes dentro do fio;
  • Enxágue e finalize.

A reconstrução promete devolver propriedades importantes para o seu cabelo: brilho, maciez, hidratação, movimento e muita saúde! Mas, quando o assunto é queratina, muita gente ainda fica com uma dúvida: qual a diferença entre cauterização e reconstrução capilar? Para responder a essa pergunta, fizemos este post que te conta tudo a respeito dos dois tratamentos! Leia e descubra o melhor tratamento para os seus fios!

queratina