É claro que se perguntarmos se você gosta de manter os seus cabelos limpos, a resposta será sim! Mas, e se te contarmos que talvez a limpeza esteja sendo profunda demais e agredindo os fios e o couro cabeludo, podendo até mesmo causar um quadro de dermatite seborréica, a popular caspa? A alternativa é investir na técnica low poo!

Pois é, parece não fazer sentido o shampoo que você usa para limpar, dar brilho e maciez no cabelo causar justamente o oposto: cabelos danificados, fios porosos e oleosidade em excesso na raiz, não é mesmo? Mas isso acontece graças a alguns componentes comerciais da fórmula, usados para dar mais cor ao produto ou para que produza mais espuma.

E é para buscar alternativa a esses produtos que surgiu o low poo, uma maneira mais delicada e suave de lavar os fios, livre de ativos prejudiciais. A técnica é recomendada para todos os tipos de cabelo, mas as crespas e cacheadas, em especial, vão se beneficiar ainda mais dos resultados. Por terem os fios naturalmente mais frágeis, os danos causados pelos ativos químicos provocam um ressecamento ainda maior.

Se você também quer saber como manter os fios limpos e cheirosos, mas sem agredi-los, este artigo vai ajudar você a saber tim-tim por tim-tim tudo sobre o low poo!

Afinal, o que não pode na técnica low poo?

O low poo pode ser traduzido como “menos shampoo” (“low” = baixo, “poo” = shampoo) e, na verdade, não busca eliminar de vez o uso do shampoo (como é o caso da técnica no poo, mas isso é assunto para outro post!), mas sim dar preferência a formulações mais leves e menos agressivas.

Quem adere ao low poo deve buscar produtos livres de sulfatos, derivados de petróleo (os chamados petrolatos) e parabenos. E agora você vai saber porque eles fazem tão mal para os seus fios e como evitá-los nos seus produtos diários!

Sulfatos

Os sulfatos são os responsáveis pela produção de espuma nos shampoos. Ele é um detergente que realiza uma limpeza profunda nos cabelos, mas que tem consequências desagradáveis: ele remove toda a camada lipídica, ou seja, a gordura natural dos fios, que os protegem de agressões externas.

Essa ação também ocorre no couro cabeludo, retirando toda a oleosidade natural da região e causando um efeito rebote: o organismo produz ainda mais óleo para compensar essa retirada. Como consequência, raiz superoleosa e caspa!

Vale sempre lembrar que a função principal de qualquer shampoo é a abertura das escamas do cabelo para a realização da limpeza. No caso das formulações com sulfato, essa abertura é mais agressiva para que ele possa atuar fundo no fio, o que proporciona um cabelo mais embaraçado, opaco e fácil de quebrar.

Evite produtos que contenham na formulação ingredientes com terminações como “sulfate”, “sulfonate”, “sulfosuccinate”.

Pretolatos

Talvez, os derivados do petróleo não pareça, à primeira vista, o maior dos problemas nas formulações comuns, afinal, eles criam uma “película protetora” em torno do fio, que confere maciez e brilho ao cabelo.

Os petrolatos, que dão origem aos silicones, vão se acumulando no fio com o decorrer do tempo. E, realmente, criam uma capa protetora que também impede que o fio receba nutrientes necessários para a sua saúde. Ah! E sabe a maciez que ele confere? Na verdade, é um efeito falso: eles realmente mantém a hidratação dentro do fio, porém barram a entrada de repositores quando essa hidratação acabar.

Os petrolatos mais comuns utilizados nas formulações de produtos para cabelo são o óleo mineral (“mineral oil”) e parafina líquida (“paraffinum liquidum”), mas também fuja de rótulos que apontem o uso de vaselina, isoparafina, dodecano e dodeceno, isododecano e isododeceno e alcano. Ah! Os silicones solúveis e insolúveis estão liberados!

Parabenos

Os parabenos são os conservantes presentes no shampoo. E não apenas neles: no Brasil, os parabenos são permitidos, com restrições, em sabonetes, loções, cremes e outros cosméticos.

Existe uma grande polêmica em torno do uso de parabenos: em 2004, uma série de e-mails virais relacionando o uso de desodorantes ao aparecimento do câncer de mama. A fake new  levou ao desenvolvimento de uma pesquisa que correlacionou o uso de parabenos ao surgimento do tumor nos seios.

Não há nenhuma prova científica contundente a respeito, mas o uso de parabenos pode resultar em alergias e envelhecimento precoce da pele. Portanto, eles não são necessariamente proibidos na técnica low poo, mas tem sido cada vez mais evitados por cuidados com a saúde em geral.

Então, já sabe: se quiser investir na técnica low poo é bom ficar de olho nas embalagens dos produtos e conferir se ela tem algum desses ativos “proibidões” acima!

Como começar o low poo?

Chegou a hora de dar adeus aos seus produtos antigos. Mas, calma! Você terá a chance de se despedir! Se a grande maioria dos seus produtos contiver os ativos proibidos no low poo, use-os até acabar ou, se quiser começar logo a técnica, doe-os para alguém que precise!

Agora, conheça algumas dicas que separamos para você conhecer antes de cair de cabeça no low poo!

Higienize seus acessórios de cabelo

Pode parecer um pouquinho de paranoia, mas você não tem ideia de quanto resquício de cosmético ficam presos às escovas, grampos ou presilhas! Se quiser enxotar de vez os sulfatos, petrolatos e parabenos da sua vida, comece colocando os acessório em um balde água morna com 3 colheres de shampoo com sulfato. Esfregue bem e se sobrar alguma coisinha, retire com a ajuda de uma espátula.

Realize a última lavagem com sulfato

Se você escolheu doar seus produtos, é melhor esperar até realizar esse procedimento. Para iniciar a técnica low poo é necessário que você lave o seu cabelo com shampoo com sulfato, mas sem petrolatos.

Aplique 2 ou 3 vezes o shampoo para garantir que ele retirou todas impurezas e silicones. Após, é só fazer uma hidratação ou nutrição com creme ou máscara liberados para a técnica e, pronto!, você já está iniciada no mundo do low poo!

A ideia é tratar os cabelos da forma mais natural possível, por isso, dê preferência a produtos com formulações leves e que contenham óleo de coco, óleo de macadâmia ou manteiga de karité, por exemplo. Dessa forma, você garante cabelos limpos, livre de agressões, muito mais fortes, macios e brilhosos!

Ah! E a técnica low poo pode ser incluída no seu cronograma capilar! O quê? Ainda não montou o seu? Então, leia agora mesmo este post que mostra um cronograma capilar sem mistérios: o que é e como fazer!

low poo