Uma enorme quantidade de produtos é comprada diariamente no Brasil. Isso significa dizer que muitas embalagens são fabricadas e, após utilizadas, não são descartadas do modo correto. Pensando nisso, foi instaurada a lei da Logística Reversa.

A intenção da lei é fazer com que empresas e indústrias de segmentos variados sejam responsabilizadas pelo ciclo de vida útil dos produtos que produzem. Dessa forma, busca-se promover a reutilização ou descarte feito de maneira correta dos bens de consumo.

Não é segredo que temos que cuidar do nosso planeta. Também se sabe que cada vez mais campanhas têm sido feitas com a intenção de diminuir o uso de plástico ou promover o descarte correto de embalagens plásticas.

Esse processo é vital para que haja um desenvolvimento sustentável. Por isso, a Lei da Logística Reversa prevê medidas que devem ser tomadas por empresas a fim de viabilizar a coleta e restituição de resíduos para seu reaproveitamento.

A lei da Logística Reversa

A quantidade de resíduos sólidos urbanos gerado nas grandes cidades têm aumentado exponencialmente devido à quantidade de pessoas que nelas residem. Ao ser gerido de forma inadequada,  esse lixo pode gerar danos ambientais diversos que comprometem a qualidade de vida da população.

Com o aumento da população, as cidades têm encontrado uma dificuldade cada vez maior de implantar e gerenciar modos sustentáveis de ordenar o lixo produzido. Pensando nisso, instaurou-se a Lei da Logística Reversa.

Essa lei gere os aspectos de retorno de produtos, como as embalagens, ao centro no qual foram produzidos. Sistema semelhante era utilizado com a reutilização das garrafas de vidro. Quem for mais velho provavelmente vai se lembrar das garrafas de refrigerante retornáveis de vidro, que além de lindas eram boas para o meio ambiente.

Por isso, incentiva-se, por meio dessa lei, que as empresas passem a reciclar as embalagens descartáveis que produzem, utilizando-as como matéria-prima para a produção em vez de serem descartadas.

Vigorando desde 2010, a lei da Logística Reversa, Lei Federal nº 12.305, foi regulamentada no ano de 2017, com a edição do Decreto de nº 9177. Essa lei estipula o tempo de compromisso e o acordo setorial como instrumentos para possibilitar a logística reversa.

Como ela funciona?

Por meio da dessa logística são criadas responsabilidades a serem compartilhadas entre fabricantes, distribuidores, comerciantes, importadores e consumidores. Tais obrigações dizem respeito tanto ao reaproveitamento quanto à coleta e destinação final das embalagens.

Isso significa dizer que após a utilização, essas embalagens serão retornadas ao fabricante para que ele se encarregue de reutilizá-la ou descartá-la de modo adequado. Dessa forma, torna-se possível diminuir a geração de resíduos e incentivar o consumo sustentável.

É fácil de entender: para que precisamos gerar cada vez mais embalagens e poluir o meio ambiente se podemos reaproveitar os resíduos que já existem?

Embora seja previsto por lei, nem todas as empresas encaram o processo de logística reversa como parte integrante dos custos da empresa.

É importante que os consumidores também tenham a consciência de comprar produtos de empresas que levam essa iniciativa a sério. O meio ambiente é uma preocupação que todos temos que compartilhar em comum.

Como saber se uma empresa aplica a logística reversa?

Empresas que aplicam a logística reversa costumam colocar, em suas embalagens, informações sobre como as mesmas podem ser retornadas e sobre o processo de devolução.

Também é possível encontrar essas informações nos sites e redes sociais das empresas. Por isso, procure sempre informar-se sobre as políticas de devolução de embalagens de seus estabelecimentos preferidos, dando preferência para consumir os produtos daqueles que aderem a tal política.

Qual o papel do consumidor?

O consumidor também exerce papel importante nessa história. Para além da importância da conscientização sobre a reciclagem dos próprios resíduos domésticos gerados, é papel do consumidor verificar quais as políticas das empresas das quais consome.

Ele também será responsável por devolver os produtos que já não são mais utilizados em postos específicos determinados pelas empresas.

Esses postos de coleta, estabelecidos pelos comerciantes, são importantes para que se possa estabelecer um sistema eficiente de logística reversa. Dessa forma, será possível retirar os resíduos ali e, então, reciclá-los ou descartá-los de forma correta.

A conscientização ambiental deve ser feita por cada um de nós. Todos temos que nos unir para cuidarmos do nosso planeta e, dessa forma, diminuir os impactos causados pelo descarte errado de embalagens.

Ao retornarmos o resíduo para o ciclo produtivo, esse material passará a ser matéria-prima para novos produtos. Dessa forma, dá-se um grande passo rumo à sustentabilidade. Por isso, faça sua parte e retorne os produtos nos locais indicados.

E há uma outra forma de fazer essa logística reversa?

Sim! Tudo que é produzido gera algum tipo de resíduo, seja plástico, metal, papel ou outro componente. E como praticamente tudo nesse mundo é reciclável, sempre há pessoas interessadas em comprar esses resíduos para transformá-los em outras coisas.

Há empresas que buscam fazer a conexão entre compradores e vendedores desses resíduos diversos. Uma dessas empresas é a Pólen, plataforma online que oferece tais serviços. Basta informar as características básicas dos resíduos que se deseja comprar ou vender e ela irá conectá-la com um comprador ou vendedor apropriado.

Dessa forma, a plataforma auxilia as empresas a lidar com seus resíduos com muito mais transparência, rastreabilidade e segurança necessárias. Através desse Sistema de Logística Reversa, a triagem e reinserção de embalagens e outros resíduos dentro da cadeia de reciclagem se torna muito mais fácil.

Além disso, ao utilizar a Polen, torna-se possível diminuir o custo de destinação das receitas das empresas para resíduos. A plataforma também oferece soluções de logística e seguro da carga, além de relatório de sustentabilidade para as operações.

Somente embalagens podem ser descartadas?

Embora tenhamos focado em embalagens, há diversos outros produtos que também fazem parte da política de logística reversa e podem ser corretamente descartados. Pilhas e baterias, óleos diversos, lâmpadas fluorescentes, produtos eletroeletrônicos e agrotóxicos são alguns dos itens para os quais devemos procurar opções viáveis e sustentáveis de descarte.

Sabemos que esses produtos também causam impacto negativo grande no meio ambiente. É importante descartá-los nos locais adequados após seu uso para que sejam reaproveitados.

É importante informar-se das políticas de logística reversa das empresas das quais consumimos e também devolver os produtos nos locais adequados. Se cada um fizer a sua parte, podemos colaborar para criar um balanço ambiental positivo para nosso planeta.