Tão famosa quanto polêmica, a escova progressiva ainda é um dos procedimentos capilares mais comuns entre as mulheres brasileiras. Esse popular e eficiente método de alisamento capilar se viu ameaçado muitas vezes pelas diversas controvérsias envolvendo seus componentes.

Entretanto, muitas mulheres ainda tem dúvidas em relação à escova progressiva, devido tanto à quantidade de informações erradas que é veiculada quanto à variedade de procedimentos existentes.

É por isso que apresentamos aqui esse guia completo sobre a escova progressiva, que irá responder todas as suas dúvidas e passar todas as informações que você precisa para fazer uma escolha consciente entre os diferentes métodos disponíveis. Vamos lá?

O que é a escova progressiva?

Sabemos que a escova progressiva é responsável por deixar os fios mais lisos e maleáveis. Mas é preciso entender como ela faz isso e qual é o método de ação desse procedimento nas nossas madeixas.

A escova progressiva é um tratamento que age na estrutura física dos nossos fios, modificando-a. Dessa forma, ela reduz o volume e o frizz, fazendo com que o cabelo fique com a aparência mais lisa, sedosa e brilhante.

Esse procedimento é geralmente escolhido por mulheres que desejam obter madeixas mais lisas e facilitar sua rotina diária de cuidados.

Pontos positivos e pontos negativos da progressiva

Como todo tratamento, ela tem seus pontos positivos e negativos. Como ponto positivo é possível destacar o fato de que, ao fazer a escova progressiva, você com certeza irá economizar muito tempo em frente ao espelho e diminuir o uso de ferramentas agressivas para o cabelo, como o secador e a chapinha.

Arrumar o cabelo se torna mais rápido e prático após o tratamento devido à redução do volume. Além disso, o tempo de duração é outro ponto positivo a ser destacado, chegando a durar até quatro meses em alguns fios.

Como ponto negativo há o fato de que o cabelo tende a ficar mais ressecado. É preciso lembrar que qualquer química feita no cabelo irá danificar os fios, principalmente aquelas que alteram a textura do fio.

Para obter o efeito alisante, é necessário abrir as cutículas do fio para que o produto aja em sua estrutura, alterando-a e fazendo com que assuma a forma lisa. Com isso, o cabelo tende a perder bastante água, gordura e queratina, essenciais para a saúde das madeixas. É por isso que o cabelo com progressiva geralmente fica mais fraco e quebradiço.

Quais tipos de cabelo podem usar a progressiva?

Qualquer pessoa que deseje reduzir o frizz e garantir mais brilho às suas madeixas pode recorrer a escova progressiva, independente de já ter ou não algum tipo de química no cabelo. Entretanto, alguns pontos devem ser observados antes de realizar o procedimento.

A escova progressiva é geralmente recomendada para aquelas que desejam ter fios mais lisos e reduzir o frizz. Mas o resultado tende a ser mais ou menos evidente de acordo com o tipo de cabelo.

Mulheres que nunca realizaram nenhum tipo de procedimento químico e tem o chamado “cabelo virgem” tendem a reclamar que o resultado não é tão eficiente quanto o daquelas que já realizaram algum tipo de química. Há uma explicação para isso.

Quando o cabelo nunca passou por nenhum tipo de procedimento químico, suas cutículas e ligações de queratina estão intactas, o que significa que o produto terá maior dificuldade de penetrar no fio e realizar sua ação alisante.

Mulheres com cabelo extremamente crespo, o chamado cabelo afro, também costumam reclamar do resultado da escova progressiva. Isso acontece porque como o cabelo afro tem menos cutículas, o produto tende a fixar menos e, quando é realizada a selagem com a chapinha, o fio acaba ficando mais grosso.

Aconselha-se que as mulheres cujos fios de cabelo estão severamente danificados realizem antes um tratamento como o cronograma capilar, pois a escova progressiva pode acabar por quebrar ainda mais o cabelo. Além disso, é importante fazer uma análise do fio antes de realizar o procedimento para verificar se ele está forte o suficiente para esse procedimento. Para aquelas que realizaram relaxamento, aconselha-se esperar ao menos uma semana antes de submeter o cabelo à escova progressiva.

Outra polêmica que envolve esse tratamento é em relação à idade mínima para realizar a escova progressiva. O Estatuto da Criança e do Adolescente proíbe a aplicação de produtos químicos no cabelo de crianças. Infelizmente há muitos profissionais que aceitam realizar o procedimento no cabelo infantil, o que não é aconselhado pela ANVISA. Por isso, melhor deixarmos o cabelo das crianças em paz, não é?

Como escolher a melhor progressiva?

Com tantas opções diferentes disponíveis, fica difícil saber qual escova progressiva devemos escolher. Embora o objetivo final de todas as diferentes técnicas seja o mesmo, os princípios ativos diferem, bem como a indicação para cada tipo de cabelo.

Tipos de progressiva (marroquina, chocolate, mel…)

Parece que a cada dia surge um nome novo de escova progressiva que nunca ouvimos antes e, de repente, se torna o favorito de todos. Mas calma, estamos aqui para ajudá-la a entender a principal diferença entre os principais tipos de progressiva e saber qual é a mais indicada para você.

A maior diferença entre as diferentes escovas progressivas existentes é o cheiro e o percentual de alisante, e esses dois critérios estão intimamente ligados: quanto maior o percentual de alisante, mais forte será o cheiro.

A chamada escova de chocolate promete dar brilho e maciez, além de reduzir o volume. É considerada menos agressiva e costuma causar menos alergias quando comparada com a escova progressiva tradicional. É geralmente indicada para mulheres de cabelo ondulado ou sem definição e pode, às vezes, fazer com que o couro cabeludo produza mais óleo.

A escova marroquina é a mais parecida com a escova progressiva tradicional. Entretanto, pelo fato de usar um neutralizador, ela permite que o cabelo seja preso ou modelado no mesmo dia. Essa escova alisa e hidrata e é recomendada para mulheres de madeixas onduladas, cacheadas e crespas que desejam reduzir o volume.

A escova progressiva de mel tem uma fórmula mais natural que reduz o volume e diminui temporariamente o frizz. Por ter uma ação mais suave, é recomendada para mulheres de cabelo ondulado ou sem definição, e também para aquelas que não desejam o efeito de liso espigado causado pela progressiva por vezes.

A chamada escova progressiva tradicional é aquela que tem alto poder alisante e utiliza a queratina e o óxido acetamide como forma de alisar progressivamente o cabelo. Não é indicada para que tem madeixas extremamente danificadas nem para cabelo afro.

Progressiva com formol x progressiva sem formol

Você deve ter percebido que chegamos até aqui sem mencionar o polêmico ingrediente. Isso porque queremos desassociar a escova progressiva ao uso estrito do formol e toda a controvérsia acerca desse componente. No entanto, é necessário falar dele.

Sabemos que a presença do formol na escova progressiva é responsável por efeitos colaterais como enjoo, queda do cabelo e queimaduras no couro cabeludo. Mas por que então esse produto químico teria sido adicionado na progressiva?

O formol aparecia ligado à durabilidade da escova progressiva, conservando o efeito liso por mais tempo. Entretanto, seu uso em excesso é prejudicial à saúde.

Foi pensando nisso que diversas empresas passaram a desenvolver a chamada escova progressiva sem formol, que funciona como a escova progressiva tradicional, sem, no entanto, ter esse controverso componente em sua composição.

A ANVISA e uso do formol

A ANVISA (Agência de Vigilância Sanitária) é uma agência responsável pelo controle sanitário de produtos e serviços cujo oferecimento se submete à vigilância sanitária. Ou seja, é o órgão responsável por verificar se aquilo que comemos ou usamos poderá nos causar problemas de saúde.

Foi esse órgão que, ao analisar os componentes da escova progressiva, verificou que a quantidade de formol presente estava acima do permitido, o que pode causar alergia, irritação das vias aéreas e falta de ar.

O uso excessivo de formol é perigoso tanto para a cliente quanto para o cabeleireiro. Imagine que um cabeleireiro faça cinco progressivas por dia. Isso significa que ele passará o dia inteiro inalando o formol e provavelmente terá todos os problemas já citados.

A ANVISA permite o uso de até 0,2% de formol na escova progressiva e, por isso, os fabricantes de produtos capilares tiveram que se adequar e procurar novos componentes que pudessem substituir esse produto químico.

Como saber se o produto contém formol

O formol tem um cheiro forte muito característico e geralmente causa ardência nos olhos. Caso você realize um procedimento e perceba o cheiro forte, tem já o primeiro alerta de que aquele produto contém formol.

O mais indicado, no entanto, é verificar a embalagem e procurar pela presença de “Formaldeído”, “Poliformol” e outras variantes que possuam formol no nome. Alguns fabricantes de produtos capilares tentam a todo custo camuflar a presença de formol em seus produtos, mas uma análise atenta dos componentes será suficiente para te informar se o produto contém formol e qual a quantidade presente.

Substitutos do formol

Sim, o formol tem dois substitutos utilizados no mercado e que não prejudicam o cabelo e o couro cabeludo como ele. São eles a Etalonamina, que é a da mesma família que a amônia, porém mais potente, e o Tioglicolato de amônio.

Esses dois componentes agirão na fibra do cabelo, fazendo com que o fio perca sua identidade e possa ser moldado mais facilmente para adquirir um aspecto mais liso.

Sem formol alisa igual a com formol?

Sim, a escova progressiva sem formol também dará um aspecto liso para o cabelo. A principal diferença entre as duas está na durabilidade e no resultado a longo prazo, uma vez que a progressiva sem formol é mais hidratante do que sua rival.

Isso não significa dizer que ela realizará uma hidratação do cabelo, mas sim que é menos agressiva e retira menos água da fibra, fazendo com que essa retenha mais hidratação do que quando o procedimento é realizado com formol.

Contraindicações da escova progressiva

Outra dúvida que surge com frequência está relacionada às contraindicações da escova progressiva. Com tanta desinformação acerca do tratamento e seus efeitos, é comum que as pessoas também confundam as diferentes recomendações feitas. Apresentaremos agora algumas das dúvidas mais comuns.

Escova progressiva pode causar o desbotamento em cabelos coloridos?

O produto utilizado na progressiva tem algumas substâncias químicas que podem causar o desbotamento ou alterar levemente as nuances da coloração.

Por isso, indica-se realizar primeiro o procedimento de alisamento escolhido, como a escova progressiva, para depois mudar a cor. No entanto, seja qual for a ordem que você escolher, a palavra-chave para manter tanto a cor quanto a vitalidade do cabelo é a hidratação.

Invista em técnicas hidratantes e umectantes para fornecer à fibra capilar tudo aquilo que ela necessitará para sofrer menos danos com os procedimentos químicos.

Grávidas e lactantes podem fazer o procedimento?

É aconselhável que mulheres grávidas evitem realizar o procedimento, pois as substâncias químicas presentes podem ser prejudiciais para a saúde tanto da mãe quanto do bebê. Também deve-se evitar a realização de procedimentos químicos durante a amamentação.

No caso das progressivas com formol, há o risco de má formação no feto. As outras progressivas devem ser analisadas pelo médico antes de serem realizadas. Se você deseja fazer a escova progressiva, mostre o rótulo do produto para o seu médico para que ele verifique se é possível ou não utilizá-lo.

Cabelos danificados

No caso de cabelos extremamente danificados, o ideal é aderir ao cronograma capilar ao menos um mês antes da realização do procedimento.

Dessa forma, você oferecerá à fibra capilar os nutrientes e proteínas necessários para que ela se reestruture e se fortaleça, fazendo com que a escova progressiva seja um processo menos agressivo para o fio.

Escova progressiva no salão x escova progressiva em casa

Se antes a escova progressiva era considerada um procedimento caro e exigia uma ida ao salão a cada três meses, agora tem surgido cada vez mais produtos no mercado que permitem fazer a progressiva em casa.

Progressiva em casa é seguro?

Essa é uma das primeiras dúvidas que aparecem quando se fala em fazer escova progressiva em casa. Os produtos para realizar tal procedimento podem ser encontrados em lojas de cosmético, farmácias e na internet.

Esses produtos trarão como resultado a redução do volume e eliminação do efeito frisado, mas não contém substâncias químicas nocivas em sua composição, sendo, portanto, seguros para serem utilizados em casa.

Como fazer progressiva em casa?

O procedimento realizado em casa é semelhante àquele do salão. Primeiro deve-se lavar o cabelo com o shampoo anti-resíduos para remover as impurezas e abrir a fibra capilar para a melhor penetração do produto.

Então, após remover o excesso de água, deve-se dividir o cabelo em mechas e iniciar a aplicação, mecha por mecha, espalhando-o uniformemente por toda a extensão do cabelo e respeitando a distância de meio centímetro em relação à raiz.

O próximo passo é deixar agir durante o tempo indicado na embalagem e, então, enxaguar abundantemente o cabelo com água morna ou fria. Após esse passo, seque o cabelo com o auxílio de um secador e, então, separe-o em mechas e passe a chapinha em cada uma delas até que o cabelo fique completamente liso.

A importância do teste de mecha

 Antes de realizar qualquer procedimento químico, é importante realizar o teste de mecha. É um teste rápido e prático que poderá salvar seu cabelo. Esse teste avalia se seu cabelo está forte o suficiente para aguentar o produto e também será responsável por mostrar possíveis alergias.

Por isso, não negligencie o teste de mecha e realize-o sempre que for fazer um procedimento químico novo.

Durabilidade

A durabilidade da escova progressiva dependerá do tipo de cabelo e do produto utilizado. Ela costuma ser entre dois e três meses, mas é possível prolongá-la com alguns cuidados.

Qual deve ser o intervalo entre as aplicações?

Sabemos que a escova progressiva é um procedimento temporário e que, após algum tempo, é necessário fazê-la novamente.

É aconselhável aguardar um intervalo de três meses entre uma aplicação e outra, período em que a raiz crescerá e o produto poderá ser aplicado novamente. Fazer a progressiva antes desse período irá danificar e ressecar o cabelo.

Procure também concentrar o retoque apenas na parte do fio que está crescendo e deixar o comprimento do cabelo de lado, pois ele estará mais fragilizado.

Qual é a durabilidade da escova progressiva no cabelo

A durabilidade costuma ser entre dois ou três meses, de acordo com o produto utilizado e os cuidados após a progressiva.

Como fazer a escova durar mais tempo

Para prolongar o efeito da escova progressiva, alguns cuidados devem ser tomados. O primeiro é não lavar o cabelo com água muito quente, pois isso causará a dilatação das cutículas, o que fará o cabelo perder a hidratação natural.

Além disso, quanto mais vezes você lavar seu cabelo, maior será a chance de a progressiva durar menos. Por isso, não lave o cabelo com frequência e use produtos indicados para cabelos com química, que ajudarão a repor a massa capilar perdida durante o procedimento.

Procure também cortar as pontas com frequência, o que garantirá uma aparência mais uniforme e saudável ao cabelo por mais tempo.

O que fazer depois da progressiva

É comum que o cabelo fique ressecado após a escova progressiva, principalmente as pontas. Isso porque o procedimento forma uma espécie de capa protetora em torno do fio, a fim de manter o efeito liso lá dentro.

Essa capa impede que a oleosidade natural do couro cabeludo penetre no fio e, com isso, ela fica acumulada na região da raiz e não consegue chegar até as pontas. Entretanto, alguns tratamentos podem ajudar a combater ou impedir o ressecamento.

Tratamentos

O cronograma capilar é um dos tratamentos mais indicados para garantir a saúde dos fios. Essa rotina de tratamentos composta por hidratação, nutrição e reconstrução capilar é planejada com o objetivo de repor os nutrientes e a massa capilar perdidos no dia a dia e com maior intensidade durante a realização de procedimentos químicos.

A umectação com óleos também é indicada para quem deseja combater o ressecamento do cabelo e proteger os fios. Lembre-se apenas de aplicar os óleos somente nas pontas e não na raiz.

Quando pode lavar?

As exigências em relação a primeira lavagem pós-escova progressiva variam de fabricante para fabricante. Alguns produtos permitem lavar no mesmo dia, enquanto outros exigem que se fique três dias sem lavar o cabelo. Verifique na embalagem qual o tempo aconselhado.

Como sair da progressiva e voltar aos fios naturais?

Para sair da progressiva e voltar para os fios naturais deve-se realizar a chamada transição capilar. Ao contrário do que muitos pensam, a transição não serve apenas para mulheres de cabelo cacheado ou crespo, mas sim para todas aquelas que desejam retirar a química do cabelo.

O primeiro passo será parar de utilizar qualquer química e deixar o cabelo crescer. Isso porque os fios do comprimento do cabelo tiveram sua estrutura alterada.

Se você faz progressiva há muitos anos, é comum que o fio não volte à sua estrutura normal. Nesse caso, você terá que esperar. Se é adepta do procedimento há menos tempo, os shampoo anti-resíduos podem ajudar a retirar a química do cabelo.

Mas não se desespere: passar pela transição capilar e retirar a escova progressiva do cabelo não será tão difícil quanto parece. Se esse for seu caso, temos aqui algumas dicas que com certeza irão te ajudar.

Com escova progressiva ou ao natural, o importante é estarmos felizes com nossos cabelos lindos e saudáveis, não é mesmo?

 

escova progressiva